Gerenciamento de custos no transporte: estratégias eficientes

Gerenciamento de custos no transporte

O setor de transporte é vital para a economia global, mas também é altamente competitivo e sujeito a uma série de despesas que podem afetar consideravelmente a rentabilidade das operações. 

Com isso em mente, fica o questionamento: como fazer um bom gerenciamento de custos no transporte mantendo a qualidade do serviço e sem estourar o orçamento?

Essa é uma dúvida muito comum entre gestores e tomadores de decisões financeiras e operacionais em uma transportadora, além de embarcadores que desejam controlar melhor suas despesas de transporte de cargas.

Se você pertence a um desses grupos e deseja aperfeiçoar suas habilidades em gestão de custos e alavancar a eficiência operacional do seu modelo de negócio, este artigo é pra você!

Ao longo das próximas linhas, você vai descobrir os custos dentro da área de transporte. Além disso, vai conferir como fazer uma boa gestão para lucrar mais.

Continue a leitura para conhecer também 5 dicas de economia em transporte e controle de despesas na estrada – além de como a tecnologia pode te ajudar no aprimoramento dessa gestão.

Quais são os custos dentro da área de transporte?

Dentro da área de transporte rodoviário de cargas, existem diversos tipos de custos, sendo alguns fixos e outros variáveis. Vamos explorar cada uma delas em detalhes:

Custos fixos

  • Depreciação de veículos: refere-se à redução do valor dos veículos ao longo do tempo. Conforme que os caminhões envelhecem, seu valor diminui, e as empresas devem reservar fundos para substituí-los eventualmente;
  • Depreciação de ativos fixos: além dos veículos, as empresas podem ter outros ativos fixos, como galpões de armazenamento, que também se depreciam com o tempo;
  • Seguro: o seguro é essencial para proteger a empresa contra danos acidentais, roubos, acidentes de trânsito e outras situações imprevistas;
  • Manutenção e reparos: manter os veículos em perfeito estado é fundamental para a segurança e a eficiência operacional, o que inclui custos regulares de manutenção e reparos imprevistos;
  • Pagamento de motoristas: despesa recorrente e crucial para a operação;
  • Despesas administrativas: incluem custos com pessoal administrativo, aluguel de escritórios, energia elétrica, internet e outros gastos relacionados à gestão da empresa.

Custos variáveis

  • Combustível: é um dos principais custos variáveis no transporte rodoviário, pois os preços do diesel podem flutuar significativamente, assim como o consumo de combustível com base na distância percorrida e na eficiência do veículo;
  • Pedágios: muitas rodovias e estradas exigem o pagamento de pedágios, que podem variar de acordo com a rota escolhida;
  • Manutenção emergencial: custos inesperados de manutenção, como reparos de emergência na estrada, podem surgir e afetar os custos variáveis;
  • Despesas de carga e descarga: inclui despesas associadas ao manuseio da carga, como custos de empilhadeiras e mão de obra;
  • Alimentação e alojamento dos motoristas: em viagens longas, as empresas devem cobrir as despesas de alimentação e estadia dos motoristas;
  • Impostos sobre o transporte de cargas: existem impostos específicos sobre o transporte de cargas que podem variar a depender da região e da legislação local;
  • Gestão de risco e segurança: investimentos em segurança, rastreamento de carga e gerenciamento de risco podem ser considerados custos variáveis, uma vez que variam dependendo das necessidades da carga e das condições da rota.

A gestão adequada desses custos é vital para o sucesso da empresa e para a satisfação dos clientes.

Gerenciamento de custos no transporte: 5 dicas de como fazer

O gerenciamento de custos no transporte rodoviário é fundamental para a sustentabilidade a longo prazo de modelos de negócio incluídos nesse setor.

Aqui estão algumas das melhores dicas de economia em transporte na estrada e controle de despesas para aprimorar a gestão de custos.

1 – Faça um análise completa de custos

A primeira dica de como fazer uma boa gestão de custos no transporte consiste em realizar  uma análise detalhada dos custos fixos e variáveis associados à sua operação.

Isso inclui despesas com veículos, manutenção, seguros, combustível, pedágios, impostos e pagamento de motoristas.

2 – Planeje o roteiro das rotas

Utilize sistemas de roteirização e para planejar rotas e otimizar as viagens. Isso ajudará a minimizar a distância percorrida, diminuindo os gastos com combustível e o tempo de deslocamento.

3 – Monitore o consumo de combustível

Monitore o gasto de combustível nas viagens e adote práticas que promovam a eficiência, como manutenção regular dos veículos, capacitação dos motoristas em direção econômica e a escolha de rotas mais eficientes.

4 – Faça a manutenção preventiva

Realize regularmente a manutenção preventiva da frota para evitar reparos de emergência que custam caro para a empresa, visando expandir a vida útil dos veículos.

5 – Utilize um bom software de gerenciamento de entregas

Utilize a tecnologia na logística a seu favor ao investir em sistemas de gerenciamento de entregas e equipes que ofereçam visibilidade e maior controle sobre os diferentes aspectos de suas operações.

Ainda, aproveite os recursos desse tipo de software para avaliar o desempenho do transporte e logística, para identificar gargalos, corrigi-los e ajustar sua estratégia.

A Emiteaí oferece um software completo de gestão de transportes, com gestão financeira e também gestão de despesas complementares, com a emissão, autorização e pagamento de todos os documentos necessários.

Veja também: Software para transportadora: faça uma gestão de alto nível!

Calculadora de frete para transportadoras

Então, o que achou deste guia sobre gerenciamento de custos no transporte?

Para empresas de transporte em busca de aprimoramento de processos, gestores de logística que enfrentam o desafio de reduzir custos operacionais ou embarcadores que desejam compreender e controlar seus gastos com transporte, esperamos que este conteúdo tenha sido bastante útil.

E, visando facilitar a sua vida, elaboramos uma planilha para você calcular o valor do seu frete, que é um dos componentes-chave na estrutura de custos do transporte de cargas.

Basta inserir apenas duas informações e ela calcula na hora o valor exato a ser cobrado!

Para que o frete não seja um prejuízo, tudo o que você precisa fazer é informar o valor líquido que deseja receber, a alíquota do seu estado e pronto!

Além de melhorar a sua produtividade, o material ainda te ajudará a:

  • evitar erros ao calcular imposto sobre o frete;
  • emitir documentos fiscais com mais facilidade;
  • garantir o recebimento do valor líquido planejado.

Baixe agora mesmo. É gratuito!

Compartilhe:

Leia também