Manutenção preventiva em caminhões: checklist completo!

manutenção preventiva de caminhões

A manutenção preventiva em caminhões é uma atividade voltada para a análise periódica do funcionamento desse tipo de veículo. Ela é feita antes que um problema surja efetivamente, e tem como objetivo garantir a qualidade da frota e proporcionar mais segurança para o motorista.

Além de reduzir custos com consertos, esse tipo de manutenção contribui para aumentar a vida útil dos caminhões, resultando em mais uma forma de economia.

O ideal é que essas revisões sejam programadas, definidas em um cronograma alinhado com a possibilidade de parada do veículo.

O motivo é que ele precisará ficar alguns dias sem uso até que todas as verificações sejam feitas, e isso não pode afetar a rotina de trabalho da empresa e do motorista.

Com isso em mente, você saberia dizer o que não pode faltar em um checklist de manutenção preventiva? Ou, ainda, quanto custa uma revisão no caminhão? 

Então, siga a leitura deste artigo e confira essas e outras respostas sobre o tema!

Qual a diferença entre manutenção preventiva e corretiva?

A principal diferença entre manutenção preventiva e corretiva é o momento em que cada uma acontece. Como o próprio nome sugere, a primeira tem por finalidade  antecipar problemas, falhas e quebra de peças. Já a segunda somente é realizada quando algo efetivamente acontece.

A manutenção preventiva é feita como uma forma de antecipação aos problemas mais comuns em caminhões, como o entupimento do filtro de ar, baixa do nível de fluido de freio, sistema de injeção desregulado, entre outros.

Já a manutenção corretiva acontece quando algo no veículo é danificado, de forma que impede seu funcionamento total ou parcial. Alguns bons exemplos são acidentes que levam à quebra de peças, rompimento de correias, perda de força do motor, entre outras situações semelhantes.

Dica! Aproveite e leia também: “Rotinas de controle de transporte: importância e dicas para aprimorar“.

Como fazer manutenção preventiva em caminhões?

Para fazer a manutenção preventiva em caminhões, é preciso verificar todo o funcionamento do veículo, e isso inclui componentes internos, parte mecânica, elétrica, níveis de óleos e fluídos, geometria, área do motor, itens de segurança, sistemas de sinalização, entre outros.

Por isso, um checklist de manutenção completo deve incluir as seguintes verificações:

  1. sistema de frenagem, incluindo fluído do freio, pastilhas, lonas, discos, tambores;
  2. componentes internos, como pedais de freio, aceleração e embreagem, e freio de mão;
  3. filtros de óleo, de ar e de combustível;
  4. óleo do motor, e também da água e fluído do radiador;
  5. presença de extintores de incêndio e validade;
  6. estado de conservação de vidros e janelas; 
  7. grau de desgaste dos pneus;
  8. banda de rodagem;
  9. alinhamento e balanceamento;
  10. condição das palhetas do limpador;
  11. suspensões, incluindo molas, barras estabilizadora, bandejas, batentes e coxins;
  12. sistema elétrico, bateria e demais componentes elétricos;
  13. luzes, setas e lâmpadas;
  14. atualização do software do módulo de injeção eletrônica, caso o veículo tenha;
  15. limpeza de bicos, corpo TBI (corpo da injeção) e corpo de borboleta;
  16. vedação do tanque de combustível;
  17. ignição, cabos e velas;
  18. correias, tensores e mangueiras;
  19. terminais de direção;
  20. barras tensora e bucha da barra de direção;
  21. escapamento, cor da fumaça e nível de emissão de gases poluentes (CO2). 

Quanto custa uma revisão no caminhão?

O custo de manutenção preventiva em caminhões depende de uma série de critérios. Por esse motivo, é difícil apontar um valor exato. 

Entre os três principais estão:

  • tipo de peças utilizadas;
  • características do caminhão;
  • origem da frota;
  • local onde a manutenção preventiva será feita.

Tipo de peças utilizadas

Para você ter uma ideia, o tipo de peça que será usado afeta diretamente os gastos. Ou seja, é preciso considerar se serão usadas peças originais, genuínas, paralelas, de reposição ou usadas.

Sobre isso, é fundamental pensar no custo-benefício e considerar que, às vezes, “o barato pode sair caro”. 

Portanto, ainda que gere uma despesa maior no início, usar peças originais é sempre mais indicado, pois reduz o tempo necessário para uma nova troca, e aumenta o nível de segurança do caminhão.

Características do caminhão

As características do veículo também refletem no custo dessa revisão. Por exemplo, se é um caminhão a gás, as peças tendem a ter um valor. Caso utilize outro tipo de combustível, os preços de alguns itens podem ser diferentes.

Origem da frota

Outro ponto que afeta o custo da manutenção preventiva em caminhões é a origem da frota. Isto é, se ela é própria ou terceirizada.

Quando a frota é própria, é a empresa que precisa arcar com os custos das revisões. Já se for terceirizada, o comum são as manutenções estarem previstas no contrato. 

A vantagem desse último formato é que não há gastos extras para o contratante, e ainda pode haver a opção de usar veículos reservas, enquanto as revisões são realizadas.

Local onde a manutenção preventiva será feita

Se a empresa tem frota própria, na hora de fazer a manutenção preventiva em caminhões é preciso decidir se essa atividade será feita internamente, ou em mecânicas especializadas.

A primeira opção tende a ser mais comum em grandes companhias, que têm uma área especialmente criada para essa atividade — geralmente, atrelada ao setor de transporte de cargas e logística. 

A segunda consiste em procurar parceiros comerciais que realizam revisão em caminhões, os quais podem ser da própria marca do veículo ou autorizadas.

Ainda sobre esses custos, saiba que o uso da tecnologia a favor dos caminhoneiros pode ajudar a controlar melhor essas despesas, bem como a criar um cronograma de manutenção preventiva de veículos.

Somado a isso, existem diversas soluções tecnológicas que contribuem para aprimorar as rotinas e tomadas de decisão de transportadores e embarcadores. 

Um ótimo exemplo é a Emiteaí, que oferece ferramentas de emissão de diversos documentos, controle de transporte, faturamento e muito mais!

Entre agora em contato com a gente e confira como nosso sistema funciona!

SOU TRANSPORTADOR | SOU EMBARCADOR

Compartilhe:

Leia também