Quais são os riscos por não emitir o CT-e?

Multa por não emitir o CT-e

No mundo do transporte de cargas, a legislação é complexa e inicialmente pode ser muito difícil de entender, caso você ainda não esteja acostumado a lidar com a burocracia. 

Um dos documentos fiscais mais importantes para o transporte de mercadorias é o CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico), ele informa ao Fisco tudo a respeito da sua movimentação de cargas. 

Se você não tiver ou preencher incorretamente o CT-e, você estará sujeito a multas. Leia o artigo completo que mostraremos as principais ações para evitar multas e penalidades. 

O que é CT-e e quais são as multas por não ter esse documento fiscal?

O CT-e é o Conhecimento de Transporte Eletrônico, documento fiscal utilizado no transporte de mercadorias no território brasileiro, obrigatório para transportadoras e empresas que realizam transporte de cargas.

As multas por não ter o CT-e variam conforme a legislação estadual, mas são geralmente aplicadas pela Secretaria da Fazenda do estado e podem ser bastante elevadas. Além disso, a falta de um CT-e válido pode dificultar o transporte de mercadorias e atrasos na entrega.

Tipos de Multa de CT-e

Alguns exemplos de multas por utilização incorreta ou ausência de utilização do CT-e incluem:

  • Emissão de CT-e sem cobertura fiscal: emitir um CT-e sem que haja uma operação real de transporte de mercadorias pode resultar em multa;
  • Utilização de CT-e falso: utilizar um CT-e falso para embarcar mercadorias pode resultar em multa e sanções penais;
  • Não emissão do CT-e: deixar de emitir o CT-e quando a operação de transporte de mercadorias é obrigatória pode resultar em multa;
  • Erros na emissão do CT-e: emitir um CT-e com informações incorretas ou incompletas pode resultar em multa;
  • Ausência de validação do CT-e: não validar o CT-e pela Secretaria da Fazenda do estado pode resultar em multa.

Contudo, é importante observar que essas multas podem ser bastante elevadas, variando de estado para estado. Ademais, essas multas são cumulativas, ou seja, se você for pego cometendo várias infrações, a multa pode ser ainda maior.

Viagem com CT-e cancelado 

As penalizações por realizar uma viagem com CT-e cancelado podem ser bastante severas e incluem:

  • Multas: aplicadas pela Secretaria da Fazenda do estado, as multas podem variar segundo a legislação estadual e podem ser bastante elevadas;
  • Perda de mercadorias: as mercadorias podem ser apreendidas pela fiscalização, causando perda de tempo e dinheiro;
  • Problemas com clientes: atrasos na entrega de mercadorias e dificuldades no transporte;
  • Prolemas com fornecedores: atrasos na entrega de mercadorias e dificuldades no transporte;
  • Problemas com os órgãos reguladores: como a ANTT, podendo causar sanções e multas;
  • Danificação de reputação da empresa: afeta negativamente sua imagem junto aos clientes e fornecedores.

Em resumo, realizar uma viagem com um CT-e cancelado pode causar problemas graves para a transportadora, incluindo multas elevadas, sanções penais, perda de mercadorias, problemas com clientes, fornecedores e órgãos reguladores, e danificação de reputação.

Falta do RNTRC

O RNTRC é um registro obrigatório para as empresas transportadoras de cargas, é emitido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e é necessário para a emissão do CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) e para a realização de transportes rodoviários de cargas.

A falta do Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga (RNTRC) é uma infração fiscal prevista pelo governo brasileiro para as empresas que realizam transporte rodoviário de cargas sem estarem devidamente registradas.

A multa por falta de RNTRC varia de acordo com a legislação estadual. Em geral, as multas são bastante elevadas e podem chegar até R $10.000,00 (dez mil reais) por infração, no entanto, essa multa pode ser aumentada conforme o grau de gravidade da infração.

Burlar a fiscalização

A transportadora deve sempre facilitar que a ANTT e os demais órgãos fiscalizatórios executem sua função e assegurem um transporte mais seguro e legal. Caso contrário sofrerá penalidades.

Nesse caso, o valor da multa é de R$5.000,00 com o cancelamento do RNTRC. Do mesmo modo, aquele que não atualiza os dados no cadastro no prazo deve pagar com uma penalidade de R$550,00.

8 passos para gerenciar a emissão do CT-e e evitar as multas 

  1. Verificar a necessidade de emissão do CT-e: antes de emitir o CT-e, é importante verificar se a operação de transporte de mercadorias é realmente obrigatória e se todas as informações contidas no documento são corretas;
  2. Manter todas as informações atualizadas: mantenha as informações de sua empresa, como CNPJ, endereço e dados dos funcionários, sempre atualizadas para evitar erros na emissão do CT-e;
  3. Utilizar sistemas de emissão eletrônica do CT-e: eles fornecem informações precisas e ajudam a evitar erros na emissão do documento;
  4. Verificar a validade do CT-e: antes de embarcar mercadorias, verifique se o CT-e está válido e se foi previamente validado pela Secretaria da Fazenda do estado;
  5. Manter todos os documentos fiscais em ordem e disponíveis para consulta: como notas fiscais, CT-e, e documentos de transporte, isso pode ajudar em caso de fiscalização;
  6. Treinar funcionários sobre as regras e procedimentos para emissão e utilização do CT-e: assim eles estarão preparados para evitar erros e infrações fiscais;
  7. Manter o RNTRC sempre atualizado e válido: isso evita sanções e multas da ANTT;
  8. Seguir a legislação: fique sempre atento às mudanças na legislação e adapte-se a elas, isso ajuda a evitar sanções e multas.

Qual a melhor plataforma para gerenciar os documentos de transporte? 

Existem várias plataformas disponíveis no mercado para gerenciar os documentos de transporte, incluindo o CT-e. Algumas das melhores plataformas incluem o TMS (Transportation Management Systems).

Trata-se de um sistema de gerenciamento de transporte, que oferece funcionalidades para gerenciamento de cargas, emissão de CT-e, rastreamento de veículos, gerenciamento de documentos fiscais, entre outras.

É importante lembrar que a escolha da melhor plataforma depende das necessidades específicas de sua empresa, então é importante avaliar as funcionalidades e recursos oferecidos por cada plataforma antes de decidir. 

Portanto, é recomendável fazer uma pesquisa de mercado e testar as plataformas antes de escolher a que melhor atende suas necessidades.

O software da EMITEAÍ foi desenvolvido especialmente para emissão de documentos fiscais, como o CT-e. Experimente e gerencie todos os seus documentos fiscais de forma segura e eficiente.

Clique aqui e solicite sua avaliação gratuita.

 

Compartilhe:

Leia também