Documentação para transporte de carga: o que preciso ter?

Documentação para transporte de carga

Para realizar um transporte com tranquilidade e com todo compliance é importante ter atenção na documentação para o transporte de carga, a fim de garantir o necessário para fins de fiscalização e pagamento do embarque.

No Brasil, contamos com diversos tipos de transporte, entre eles: rodoviário, ferroviário, hidroviário e aeroviário. 

Assim, em todos os casos é necessário uma série de documentações. Para isso, fizemos uma seleção dos principais documentos, continue a leitura para conferir. 

NF-e Nota fiscal eletrônica

Esse documento é a base para o início do transporte, é utilizado para a comercialização de produtos. Ou seja, um registro oficial das transações que ocorrem entre as pessoas jurídicas e físicas.

Com isso, é possível calcular os impostos devido, entre outras obrigações contábeis. 

Além disso, a falta da documentação pode indicar fraudes e sonegação de impostos, causando problemas para o embarcador e o  transportador. 

CT-e Conhecimento de transporte eletrônico

Sua função é, basicamente, a mesma que a da nota fiscal, porém é específica para o transporte de cargas.

O documento é conhecido pela sigla CT-e e é responsável por substituir o conhecimento de transporte rodoviário de cargas (CTRC). 

Isso porque, pode ser utilizado de forma eletrônica, ou seja, facilita sua emissão e armazenamento, sendo mais prático para todos.

MDF-e – Manifesto eletrônico de documentos fiscais

Sua função é agilizar o registro de lotes dos documentos fiscais dos transportes de cargas, este tem a validade em todos os estados do Brasil e permite a vinculação dos documentos.

Ou seja, permite a identificação da unidade de carga utilizada no serviço, da transportadora e os dados do veículo utilizado. Assim, une todas as informações com validade jurídica em um único lugar.

Vale ressaltar que, para gerar o MDF-e, é preciso primeiro emitir o CT-e, que deve ser assinado eletronicamente pelo emissor.

DANFE – Documento auxiliar de nota fiscal eletrônica

Esta é uma representação física da NF-e, pode ser impressa por quem a emite e contém o resumo de todas as informações do documento. 

Com isso, é possível facilitar sua visualização, já que é preciso um programa específico para fazer sua leitura.

Porém, vale ressaltar que o documento não substitui a nota fiscal original, serve apenas como representação.

DACTE – Documento auxiliar de conhecimento de transporte eletrônico

Seguindo a mesma ideia do documento anterior, esta é uma representação do CT-e, também impresso pelo emissor. 

Ele contém todas as informações necessárias do CT-e e apresenta a chave para consulta eletrônica do documento. 

Assim como o DACTE, o documento auxiliar não substitui o original, mas em caso de fiscalização pode ser apresentado para comprovar a regularidade da transportação.

Averbação de cargas

As empresas de transporte de carga precisam estar atentas nos imprevistos que podem ocorrer durante o percurso, por exemplo: acidentes, roubos, danos à via, etc. 

Por isso, para precaver de sinistros e os riscos e despesas de emergência é preciso contratar um seguro para cobertura dos problemas que podem vir a surgir e seus prejuízos.

Assim, todas as operações que envolvem o transporte de cargas, devem ser averbadas, garantido a segurança do embarque. 

Importância da Documentação para transporte de carga

Como foi visto acima, todos os documentos citados se complementam e garantem a segurança em todo o trajeto. 

Além de serem obrigatórios, são necessários para garantir a legalidade, organização interna e controle das empresas de transporte de carga. 

Precisa de ajuda para emitir a documentação? A EmiteAí! pode te ajudar. E, se quer saber mais, continue acompanhando nosso blog. 

Compartilhe:

Leia também